23 de mar de 2010

O que é o amor? Onde vai dar? Parece não ter fim...

O título acima, pode parecer inicialmente como um delírio nada piegas de um adolescente, suspirando amor em tudo que vê. Entretanto, quero usar o fragmento da canção de Nana Caymmi, para tentar como inúmeros, pensadores, poetas e demais profissionais das mais variadas categorias, procurando entender, ou explicar este fenômeno humano, inerente a qualquer um de nós.

Há quem diga que já nascemos amando. Assim como o direito, que em seu ordenamento,preve que a vida intra-uterina, já goza dos benefícios jurídicos,assim também é o amor. Apenas que, no ultimo,o individuo não requer nada, não postula diante de nada ou ninguém aquilo com o qual nasceu. O direito a vida e o amor!

Mas, que raios seria o amor? Por que temos? por que temos que amar?

Prezados, destas respostas, eu não sei elucida-las, entrementes, após analisar, reanalisar, dissecar, sintetizar e sofrer um bocado, cheguei a conclusão de que o amor não é algo definível. Não é uma teoria científica, onde se possa limita-lo a algumas letras vagas e sem sentido. O amor é algo a ser vivido, desde o ventre materno, porque se pensamos bem, o que levaria alguém a carregar outro ser humano por eternos 9 meses, ver seu corpo totalmente modificado, durante e depois do nascimento, se não fora por amor?

O que nos move? a levantar, a ser cortes, respeitosos, sensatos, coerentes, sensíveis, amigos, companheiros, fiéis, responsáveis? Se não for por amor e pelo amor.

Uma mãe gera um filho, cria, educa, alimenta, abdica, renuncia... pelo que?

Pelo simples e futil sentimento de dizer as amigas da sociedade que é mãe? Não. Ela faz isso porque ama, porque sente algo além de suas meras e limitada compreensão. Ela quer amar, quer dar o melhor, quer dar tudo de si.

Neste contexto, que nascemos. Apreendemos o amor, vivemos o primeiro tipo ( se é que se pode dizer "tipos" de amor") vivenciado por um ser humano. Após isso,poderíamos dizer, que o amor, torna-se algo oriundo de um processo osmótico, onde as repetições, características e peculiaridades são repetidas por nós, nas, mais diversas esferas de relacionamento.

Mas, o que é o amor?

Voltemos agora ao inicio... ao inicio de tudo... e procuremos na história da humanidade, a maior e mais importante prova de amor, demonstrada por um homem... Ha alguns anos... (foi quase um dia desse...) um homem, desafiou um império mais forte e mais cruel, existido na terra... dizendo uma frase simples... "Amai-vos uns aos outros...". Como Ele poderia dizer tal ato? Como Ele poderia expressar o que é amor?

Numa sociedade como aquela, onde os interesses eram pautados sob qualquer pilar, ( qualquer semelhança com nossa sociedade, não é mera coincidência), Jesus Cristo decide amar. Amar para salvar algo que Ele mesmo havia criado e que o próprio homem trilhou caminhos para perder a si mesmo. Cristo resolveu amar... Suportando a mais dolorosa e humilhante morte jamais registrada na sociedade.

Por que?

Porque ele Ama. O que é o Amor? Pergunte a Ele, Jesus Cristo pode definir a você da melhor forma possível, Amando.

Poderia ser definido por alguém com mais competência do que Ele mesmo? Se o próprio disse que Ele é o amor... Ninguém mais pode falar com mais propriedade sobre o amor.

Mas, vamos voltar a laços humanos... Amar alguém... viver com alguém... Como é que se pode viver isso?

Quero desafia-los a amar, como se fosse a ultima coisa que tivessemos a fazer. Não sei dar uma bula sobre o amor a você, até porque se soubesse, eu procuraria para mim mesmo.(risos...)

Sei que na nossa sociedade, existe uma carência muito mais do que de alimentos... é de amor...

Ja li livros fabulosos sobre o amor, outros nem tanto, mas, de uma coisa eu quis aprender e apreender, é mais do que necessário amar... Independente da categoria escolhida, (pais, filhos, conjuge, patrão, inimigo, familiares)

Ame.

A quem quer que seja... Ame!!!

Após a conclusão de um livro sobre o amor.. ( Um amor que vale a pena.Lucado, Max),cheguei a uma frase, que repito quase diariamente e com ela, que termine o post de hoje...

"... Por mais piegas que possa ser, o amor é a única solução para os problemas sócio-políticos, culturais e econômicos da humanidade.

Um comentário:

  1. "Quem inventou o amor, explica por favor..."

    Foi a primeira frase que veio a cabeça quando li teu post. Falar do amor soa como poesia, terremoto, jardins de margaridas, exala perfumes adocicados, transborda cores, pulsação, arrepios, risos e até lágrimas. Soa como o que não dá pra definir. Sentir só!
    E se pensamos que sabemos o que é amar, que podemos sentí-lo em essência? Ainda somos alunos, como crianças a serem alfabetizadas e concordo plenamente contigo vizinho...Cristo é o amor, é a doação viva desse sentimento (se é que podemos assim dizer)que nos faz tão bem...
    Obrigada Senhor por todas essas oportunidades, reconhecer que em ti seremos sempre crianças, eternos aprendizes do teu incontestável amor.
    Pra um comentário já escrevi demais...tudo se resumiria dizendo que amei o post e que falar do amor é isso mesmo, é extensão, é desafio...
    Um beijão pra tu!
    =***

    ResponderExcluir